terça-feira, 17 de abril de 2018

Pensamento de Poeta - Bla, Bla, Bla



BLA, BLA, BLA   
-  José Timotheo -
                                                             
Vejo um brasil sem sil
Um bra, bra, bra
Vejo um b de buraco
Vejo um r de rajada
Vejo um a de abismo
E o sil?
Storm
Is our
Law

segunda-feira, 9 de abril de 2018

Pensamento de Poeta - E a História se Repete



E a História se Repete

-José Timotheo-

Sou corajoso
Covardemente corajoso
Tremo ante o presente
Mas corajosamente gritei
No passado
Passando a limpo
Os dois tempos
Temo corajosamente
Pelo futuro
Ontem desfraudei a bandeira
Da ilusão
Hoje burramente
Vejo a rua mergulhar
Em idéias sem ideais
Cegamente doar o seu pescoço
Para a forca que não lhe pertence
É a história se repetindo
Os idealistas sem ideais
Abrem os currais
E o gado vai para o abate
O churrasco está pronto
Mesa posta
Fartam-se de poder
E vaidade
A terra reveza de dono
Mas o gado é sempre novo
Pois o velho
Foi sacrificado pela história


segunda-feira, 2 de abril de 2018

Pensamento de Poeta - Mente Sã é Loucura



Mente Sã é Loucura

                                                       - José Timotheo -

Painel da história
Mentes abestadas
Bandeiras desfraldadas
Norte império da dor
Mãos espalmadas
Arrastando cegos cordeiros
Para os abismos infloridos
De um jardim sem cor
Olhos rasgados em brasa
Anjo louro
Das trevas sem asa
Duelo entre forças do mal
 botões há um palmo
Da mão
Já não querem o canhão
Mentes sãs
Tão atômicas
Brincam e brindam a sorte
Ambos se equilibram no norte
Famigerados delinquentes
Mandam de presente
A maldade
Teleguiados da vaidade
Porta voz do mal
Hoje sei o que sei
Os loucos
São sãos
Os sãos
São loucos
E irmãos
Precisamos medicar
Os sãos
Já os loucos
Vamos festejar
Então
A sua sanidade


quinta-feira, 29 de março de 2018

Pensamento de Poeta - Quero Falar



Quero Falar

- José timotheo -
                                                                  
Quero falar de amor
Mas há que se cortar a flor
Juntar pétala por pétala
E pintar um arco iris de dor
Digo que a vida faz
Que presenteia
Mas num instante desfaz
Volto a falar de amor
Subo num monte verde
Já tão queimado
Morto de sede
Vou pintá-lo
Com uma demão
Vermelho de indignação
Continuo falando de amor
Escolho o tema que for
Deitar flores na capela
Isso vai te lembrar do sono dela
Foi a partida do sonho e da cor
Mas vai ficar tatuado na mente
A bala deixou-a ausente
Mas a saudade não deita esquecimento
Não importa se a faca corta
Se a bala fura
Se lágrima é suja ou pura
Mas não desisto de falar de amor
Vejo o ódio empunhando a lança
Mas que não consegue
Matar a esperança
Porque ela resiste
Insiste em brigar pela vida


sábado, 24 de março de 2018

Pensamento de Poeta - Antolhos



ANTOLHOS

José Timotheo

Novas velhas paragens
Novos horizontes de estagnação
Novos, mas velhos discursos nazistas
A nova, mais velha enganação
Levantou a bandeira de justo
Que matou a fome de dez
Mas enterrou no calabouço da história
Uma nação sem mãos e sem pés
Torneou esperanças na estrada
Nasceram alguns tolos e cegos
Criou um pelotão de fascistas
Que senta até em pontas de pregos
Empunhou sonhos e sangue
Afogando-se em ódio e arrogância
Que o leva para um fosso de lama
Para morrer de ócio e ignorância

quinta-feira, 15 de março de 2018

Pensamento de Poeta - Meio Fio




Meio fio

- José Timotheo -

Estou no meio fio
Fio da vida
Perto do ir
Ou do chegar
Estou a meio fio
De sorrir, de amar
Estou a meio fio de partir
Mas não estou querendo ir
Mas tem outros
Querendo chegar
Por que me prendo aqui?
Sou querer! Sou sem fim
Mas algum poder me detém
Agora, me pergunto também
Além de mim
Sou meio fio
De quem?


quarta-feira, 7 de março de 2018

Pensamento de Poeta - Prelúdio do Fim



Prelúdio do Fim

-  José Timotheo -
Nesse universo
Vê-se o inverso
Prosa dura e crua
Realidade nua
Despida de poesia
Insano é o tempo
Onde depositamos esperanças
E é só espera. Espera. Espera
Paciência tombada
Agarrada à tolerância
Universo da dor
Em cada ruela do vício
Improvável ponto da concórdia
Arriscar um verso ou prosa
É um buraco negro em flor
Mata-se mais e mais
Levantam-se teorias
Tenta-se justificar, mas não se justifica
É como matar a morte da vida
Ou mudar a órbita da terra
E assinar o fim do universo
Acabar com – axioma - deus
Basta! Basta
Bosta
É o caminho da dor